quarta-feira, 26 de setembro de 2012

MEU CASAMENTO LÉS



Querido diário. Ops... Querido Blog. Veja bem. Não que eu seja assim perfeita e tal. Mas, eu tentei e cansei. E acho que tão cedo não quero pensar nessa ideia de “casamento”. Sei lá. Foi desgastante pra mim... 

Acho que tirou demais a minha privacidade
E eu tenho esse lado “não me sufoque”... tipo:
 “hoje me deixa quieta que eu quero deitar na rede e pensar na vida”,
ou “vou tocar um pouco de violão pra relaxar e depois eu já te encho de beijos”,
 ou “não estou brava com você amor eu só queria ficar na net um pouquinho lendo meus blogs favoritos, será que posso”,
ou “amor minhas melhores amigas vão fazer uma janta amanha e to morrendo de saudades delas, mas como sei que você não vai deixar já avisei que não vou... ”.

Enfim, esse pequenos detalhes da minha ‘prisão domiciliar’ foram acabando com aquele amor lindo e gostoso que existia dentro do meu coração. Juro! Eu tremia toda vez que ouvia aquela frase com entonação de posse “você é minha entendeu... só minha”. Dava medo, parecia uma coisa assim “se você encostar a mão nesse violão eu te quebro toda”, ou algo do tipo “tenho ciúmes até do ar que você respira”.

Cheguei à conclusão que não consigo conviver com pessoas cheias de regras e menos ainda com excesso de posse.

Mas, enfim, tirando o que estraga. Vários momentos da vida a duas são maravilhosos. Como, acordar e receber café da manha na cama (embora tenha sido só no começo e depois eu quem levava café na cama todos os finais de semana). Aquelas flores que eu nunca recebi e esperei, mas mandei várias vezes... 

Ops  esqueci que eu tava falando do lado bom. Vamos lá! Os prós de morar junto com a mulher amada ... Um deles é acordar todo dia e sentir o cheirinho dela, aquele cheirinho gostoso que só a pele dela tem e que fez você se apaixonar. Passar a mão no corpo dela e pensar “hum que gostoso” e começar a beijar devagarinho o pescoço, as costas só pra ver ela se arrepiar toda. Dormir de conchinha todos os dias da semana. Aquela sensação de ir dormir e saber que não está sozinha, que tem alguém pra te abraçar e segurar sua mão.

Beijo na boca todo dia. Abraços e carinhos. Dengos. A companhia para aquela cervejinha na sacada no fim de tarde após um dia exaustivo no trabalho. Alguém que vai te ouvir quando você chegar em casa chateada por que discutiu no trabalho, ou quando sua mãe te falou algo que você não gostou.

É muito bom ter alguém para dividir os melhores momentos da sua vida. Os bons momentos, os maus momentos. É muito bom ter alguém que vai te colocar no colo se você estiver se sentindo triste. É muito bom ficar namorando na cama nos dias frios e de chuva... É muito bom ter companhia para o jantar todos os dias. É maravilhoso quando depois da briga vêm as “pazes” e daí... bom... rola!!! De um jeito que parece sempre mais intenso depois da briga.

É uma pena que no meu caso as coisas chegaram aos extremos, mas tenho que confessar que não tá nada mal agora... assim “free” e assumida. Coisas inesperadas acontecem (mulheres inimagináveis)...

Hehehe

Mas, isso deixa pra próxima

4 comentários:

  1. olá, sempre passo por aqui e leio suas histórias, tbm ja tive um relacionamento com uma garota mais nova do que eu, hoje estou com 29 anos e ela com 22, hoje ela mora com uma mulher de 31 anos. conheci esse eu chamo de meu segundo amor quando morei em outra cidadee fiquei lá por 10 anos, esse ano de 2012 voltei a minha cidade de sempre e ela a menina garota mulher ficou por lá. não pude dar á ela o que ela precisava, eu queria mas nao podia, nao digo que sinto atraçao por mulheres, eu amei uma e amei um garoto aos 15 anos, mas ela a garota que conheci quando ela tinha 18 anos se tornou a unica amiga naquele lugar solitario em q fui morar com meus pais, da amizade intensa, ela me ensinou a não ser tão fria quanto eu era ( as vezes penso que deveria ter ficado como estava) porque talvez eu não sentiria tanto a falta dela. ela me pediu coisas que eu não poderia dar, não sou carinhosa, não sou de carinhos á toda hora. mas ela precisava disso devido a todo um histórico de carencia na vida dela, fomos amigas, uma ajudou a a outra, eu a conheci quando ela estava mal a pnto de cometer uma besteira, mas aos poucos com essa calma que possuo ( acho q tenho ainda) ela foi mudando e nós nos tornamos as amigas inseparaveis e dai então ela nao tinha tido nenhuma experiencia com meninas, e eu tinha tido ha muitos anos aos 18 anos idade q ela tinha.mas foi coisa de curiosidade, com ela não, foi intenso, foi um relacionamento sem que as pessoas soubessem por motivos familiares e outros. mas ela como disse muito carente necessitava de atenção sempre e eu nao era assim, ela me fez dizer eu te amo em voz alta, eu nunca havia dito. sinto saudades dela a todo instante, no ano de 2011 ficamos bem distantes ela conheceu essa pessoa com quem ela vive hoje e pode dar todo o suporte que ela precisava, mesmo nao amando no começo acho que hoje ela ta feliz e eu cada vez mais sinto a falta daquela maluquinha. ela não foi se despedir de mim porq achava q era mentira q eu ia voltar pra minha cidade e cursar psicologia, e não nos vimos, quando ela deu uns telefonemas, soube q era real, e me ligou e eu estava no onibus porq vim primeiro que minha familia, no onibus ao celular ouvindo a musica q ela adorava q eu tocasse e cantasse pra ela, ela me ligou e disse chorando, vc está indo embora? eu disse estou quase chegando, porque vc nao veio me ver? ela eu nao acredito que vc realemnte foi, e eu aqui , me desculpa pela ausencia, me desculpa por ter pensando só em mim, mas eu precisava sair de casa e o caminho foi esse, eu te amo e sempre vou, mesmo que eu não te ligue não te mande email e nao crie rede social vc está em mim sempre, eu acreditei naquele instante e por meses, hj ja nao sei mais, vejo a rede social da namroada dela e vi uma foto em que ela parece realizada, se ela está feliz estou tbm, mas a falta que ela me faz não passa nunca, as vezes penso não deveria ter cedido a ser mais capaz de sentir, deveria ter permanecido como eu era, talvez hoje não doesse tanto. não sei se um dia vou reve-la, minha irmã q nao sabe disso, mas abe da amizade sempre fala q ela vai visita-la, minha irma casou por la e ficou, então sei que ela visita minha irma e leva presentes pro meu então sobrinho de 3 meses! sinto tanta falta dela que doi. breve historia, porq daria um livro, sempre escrevo de algum modo sobre isso no meu blog. adori o seu e sua tranparencia, bye bjo bi murer

    ResponderExcluir
  2. Cada um tem seu momento, parece aquelas frases de astrologia e coisa e tal... mas na realidade é exatamente assim, eu adorava a liberdade q tinha, curtir o MEU momento sem ter aquela ladainha enorme no meu pé. Mas quando a Angela entrou em minha vida aprendemos a respeitar as diferenças, hj abro mão de minhas horas de solidão para ver a novela com ela (arg) e quando realmente preciso ficar quietinha com um livro na mão, ela deita ao lado caladinha e as vezes até dorme ali. Acho que foi o nosso momento certo, ela já viveu outros casamentos e tinha um ritmo completamente diferente do nosso, mas sinto que não sente-se sufocada por isso. Uma hora aparece alguém por qm vale a pena deixar o violão de lado, mas que qd sua saudade dele for maior ela tbm saberá compartilhar com vc.

    ResponderExcluir
  3. Nossa muito legau a historia de vcs pena ki a minha nao assim
    ja minha mae nao aceita como eu sou .
    assim que eu comesei a gosta de mulher eu era criança e ja sabia oke eu kero
    eu brinkava de bola de peteca de carrinho de tudo de homen eu gostava .
    mas ai chegou uma hora ki aquela menininha foi crescendo e nos 7 anos de idade foi abuzada pelo seu propril tio o irmao da minha mae e ela praticamenti nao fes nda e aquela garotinha que era antes foi mudando andou mas tença depos que aconteceu isso essa garotinha sou eu .
    dai minha mae comesou a bebe trazia genti aque que eu nem conhecia uzavao drogas na minha frenti e ela nao fazia nada .
    ai essa garotinha foi mudando crescendo .
    vendo isso .
    Guand eu tinha nove anos ela escondeu duas meninas dentro de caza .

    Eu nao sabia nem oque tava aconrecendo .. depos sem quere eu vier as duas se beijando sei la mas eu sempre gostei mas eu amei. ver akilo . ai me interesei mas foi guando eu ganhei um celula comesei a conhece meninas garotas.
    sei la ate que xeguei numa menina que me apaxonei e amo mt ela. ai eu me assumi di verdad com 13 anos minha mae nao gsto muito e me bateu eu fiquei roxa . fui mora com meu pai que aceito mas ele nao prestava .
    ai ela com raiva meteu ate concelho do tela nu meio ki nao tem. nada aver ela queria que eu volta se a mora com ela eu voltei mas ela me proibiu a fala com minha namorada que virou minha mulher .
    e ela sempre me bate muito eu como nao sou de maio nao posso faze nada eu ja me assume
    mas ela nao aceit Me força a fica com homens eu nao fico pk nao gosto .
    ate hj nos tamu assim mas eu axo ki ela ta guase aceitando ja sou moça vou fazee 16anos e ela nda de aceita .
    eu apanho mas apanho feliz e como dizem pra me minhas amgas que curtem mana ela nao vai bate em vc pra sempre nao um dia ela vai aceit Ela ta ti prendendo muito ai vc pode faze coiza pior
    sei la mas da vontade de ir embora sai dessa prisao e vive uma vida ao lado da pessoa que eu amu . bom minha namorada tem 14 eu vou faze 16
    eu ja queri mora com ela .
    mas isso passa mas nao sou mas criança pra apanhan. ja sei oque eu quero .
    er essa minha historia

    ResponderExcluir
  4. NOVO OLHAR SOBRE A MATEMÁTICA, Jornal Beira do Rio, UFPA, Abril 2011,
    www.jornalbeiradorio.ufpa.br/novo/index.php/2011/124-edicao-93--abril/1189-novo-olhar-sobre-a-matematica

    MÁRIO SERRA - ENGENHEIRO, MATEMÁTICO E AMAZÔNIDA, Jornal Beira do Rio, UFPA, Ano XXVIII Nº 120. Agosto e Setembro de 2014,
    http://www.jornalbeiradorio.ufpa.br/novo/index.php/2014/152-2014-08-01-17-25-17/1618-2014-08-04-14-34-28

    RENATO PINHEIRO CONDURÚ (Belém-Pa, 25/08/1926 - 23/06/1974), ENGENHEIRO-MATEMÁTICO PARAENSE: INDO DO GUAMÁ ALÉM DO VAL DE CÃES ( solicite por e-mail: jbn@ufpa.br)

    ALGUMAS MULHERES DA HISTÓRIA DA MATEMÁTICA E QUESTÃO DE GÊNERO EM C & T.
    http://opirata2.blogspot.com.br/2012/05/livro-algumas-mulheres-da-historia-da.html
    http://sitiodascorujas.blogspot.com.br/2013/06/mulheres-na-matematica.html

    CONSTANTINO MENEZES DE BARROS I - MATEMÁTICO QUE LIGA O PARÁ/BR AOS MAIORES CENTROS DO MUNDO E COMPARÁVEL AOS GRANDES ÍCONES DA HISTÓRIA DA MATEMÁTICA (II a V não publicados, disponível por e-mail), (Óbidos-Pa, 19/08/1931, Rio de Janeiro-RJ, 06/03/1983), Ex-Docente UFF e UFRJ,
    www.chupaosso.com.br/index.php/obidos/educacao/2149-vida-e-obra-de-constantino-menezes-de-barros

    JOAQUIM GOMES DE SOUZA, "O SOUZINHA" (MA,1829- RJ,1864) E MARÍLIA CHAVES PEIXOTO (Livramento\RS, 1921 - RJ, 1961): OS PAIS DA MEDALHA FIELDS BRASILEIRA (não publicado, disponível por e-mail)


    PROFESSORA SANTANA: Candidata a Melhor Docente do Ensino Básico Paraense, Blog Chupa Osso, 23 Junho 2013, www.chupaosso.com.br/index.php/obidos/educacao/2453-proessora-santana-candidata-a-melhor-docente-do-ensino-basico-paraense

    CONHEÇA MARIA LAURA MOUZINHO LEITE LOPES, UMA DAS PRIMEIRAS DOUTORAS EM MATEMÁTICA DO BRASIL!,
    http://encontrodejovenscientistas.com/2015/02/02/conheca-maria-laura-mouzinho-leite-lopes-uma-das-primeiras-doutoras-em-matematica-do-brasil/

    SABER MATEMÁTICO E CULTURA INDÍGENA, blogue da AICL, 20 de Setembro de 2011,
    http://coloquioslusofonia.blogspot.com.br/2011/09/saber-matematico-e-cultura-indigena.html

    PAIRÉ CAMETAENSE: UMA BELA OBRA EM MATEMÁTICA E ENGENHARIA (não publicado, disponível por e-mail)

    DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA E PATRIMÔNIO CULTURAL EM MATEMÁTICA (não publicado, disponível por e-mail)

    NOTAS DE CÁLCULO I, SEGUNDO PRECEITOS DA FILOSOFIA ZENONISTA,
    www.sobralmatematica.org/editora/notas_calculo_JBNascimento.pdf

    GOLPE DE 64 & UNIVERSIDADE PÚBLICA & MATEMÁTICA,

    http://livrandante.blogspot.com.br/2014/04/joao-batista-do-nascimento-educacao.html

    NASCIMENTO, J.B., GOMES, S.C. L., MAGNO, C. S. E MOREIRA, A. M. S. , CICLOIDE E BRAQUISTÓCRONA, www.sobralmatematica.org/preprints/preprint_2015_01.pdf, acesso fev/15

    ResponderExcluir